domingo, 3 de abril de 2011

Mais uma das minhas buscas

Esse primeiro post é só pra vocês sentirem um pouco da minha insana paixão por música e entenderem por que coube a mim também tratar desta maravilhosa arte neste blog...

Andava pela Avenida Nazaré em Belém, ouvindo rádio, quando começou a tocar uma música com estilo meio folk e basicamente com voz e violão. Encantei-me já só ao ouvir a introdução da música, mas quando aquela voz meio rouca começou a cantar num inglês britânico, pronto! Foi paixão à primeira audição. Pensei: “Eu quero essa música pra mim”.
Ouvi toda a canção e esperei o radialista dizer o nome dela e de quem a cantava. Mentalmente torcia para que fossem nomes fáceis de gravar. Afinal, eu estava na rua e não teria como anotar nada até chegar em casa. Enfim a música acabou e o radialista disse: “Vocês acabaram de ouvir...”. Puta que pariu! Era um nome enorme! E ele continuou: “... da cantora inglesa Adele”. “Adele, o nome dela é Adele”, pensei. Não tinha a música, mas tinha o nome da cantora. O que para mim naquele momento era muito. O Google ia me salvar!
Continuei andando e repetia mentalmente: “Adele, Adele, Adele... o nome dela é Adele”. Coisa de gente doida, né? Ah... vocês ainda não viram nada.
Cheguei em casa à noite. Acessei a internet, abri o navegador e digitei “Adele”. Inúmeros resultados surgiram. Comecei a procura por algo que nem sabia o nome. Visitei o site da Adele, o Myspace dela, descobri que ela tem dois CD’s lançados, fiz uma busca também no Youtube, vi alguns vídeos – surpreendi-me com o fato de ela ter uma voz bem ao estilo daquelas negras norte-americanas e ser branca e loira.
Tudo bem. Eu já sabia um pouco mais dela, só que o que eu queria mesmo era aquela música. O que eu poderia fazer? Resolvi abri um programa de compartilhamento de arquivos. Digitei “Adele” novamente e surgiram várias músicas. Comecei a baixá-las aleatoriamente. Lia o nome da música, pensava “Será que é essa?” e baixava. Baixei várias e passei a ouvi-las. Nada. Nenhuma delas se parecia com aquela que eu escutara. Estava começando a ficar louca – ou mais do que já estava, sei lá. Fui ao Google novamente, busquei “Adele músicas”, novos resultados e um deles era esse site. Nele há todas (eu acho) músicas que ela gravou. É possível ouvir cada uma e, ao lado da playlist, tem a letra. Pronto! Era o que eu precisava.
A questão era simples: decidi ouvir música por música. Seria impossível não achá-la. O “problema”? Eram 42 músicas listadas. Mas nem pensei nisso, eu queria aquela música e acabou. 42 músicas eram até pouco. Dei início a minha saga. Uma, duas, três... treze, catorze... vinte e sete, vinte e oito... Estava começando a me desesperar. E ficar ouvindo uma música atrás da outra fez com que eu começasse a achar que qualquer música com um violão era a que eu procurava. Minha loucura estava cada vez pior... até que, lá pela música trinta e cinco, eu ouvi essa música aqui. Um violão, uma batida meio folk e aquela voz grave. Quase choro quando percebi que, sim, aquela era a música que me fizera ficar algumas horas pesquisando, pesquisando, pesquisando... Agora eu podia dormir feliz. Claro, não antes de buscar no Google “If it hadn’t been for love download Adele”. Ah, essa nossa eterna busca pela satisfação...

Curtiu a história?
Não?
Bom, isso pouco importa XD
O importante é que #ficadica:

Adele Laurie Blue Adkins, ou apenas Adele, tem 22 anos, é inglesa, possui, como já disse, 2 CD’s lançados – o 19 e o 21. Possui uma voz que, pelo menos a mim, lembra a Amy Winehouse – claro, sem as peripécias com álcool e drogas e sem aquele jeito Amy de se vestir, maquiar e dançar. Ambos os CD’s foram bem recebidos pela crítica, mas isso também não importa, né? O importante é que #ficadica para ouvir a soul e o jazz de Adele e gostar. Ou não.
Reclamações, sugestões e xingamentos, por favor, mais abaixo.

5 comentários:

Thiago César disse...

Belo post de estréia!
Tava ouvindo a música agorinha... Não é muito meu estilo, mas dá pra entender muito bem porque é considerado algo bom!

Pedro Henrique disse...

Belo post de estreia ! [2]
Já conhecia o trabalho da Adele a um pouco tempo atrás. Mas conheço poucas músicas, sempre tenho 'preguiça' de ir atrás de mais, também por falta de tempo. Gosto muito da voz dela. Fantástica e deveria ser mais reconhecida.

CA Ribeiro Neto disse...

Música boa! Eu estava mesmo querendo conhecer coisas mais desse estilo!
Mas é preciso dedicação para se conhecer coisas bem desconhecidas.... hehehehehe

Eu podia dormir tranquilo se ela colocasse a minha cabeça no colo dela e ficasse cantando para mim! :D

Monte disse...

Nossa voz de afro americana mesmo. Já me aconteceu também de estar passando uma música na rádio e ficar gravando o nome até chegar em casa.
Parabéns pelo post

Denise Bordallo disse...

Camila, sua linda!!! Sei que essa fala é sua, todavia confesso que concordo em gênero, número e grau com a estreia do blog e com a opinião dos colegas acima. Também sou apaixonadérrima pela arte como um todo e compartilho esta paixão você, artista nata. Graças a você conheci Adele, voz impressionante e que mostra justamente o seu real instrumento, diferente da maioria de hoje, capaz apenas de mostrar o corpo com poses sensuais, semi-nuas para assim alguém dizer: "ah essa é a voz dela?! só tinha olhado a calcinha".
Adele vai além, instiga com o timbre das cordas vocais, com a alma... Enfim, excelente!